Oscars 2020 — Quem vence e quem deveria vencer

Image for post
Image for post

Um ano se passou, ninguém lembra quem venceu o Oscar de Melhor Filme em 2019, mas aqui estamos, prontos para passar três horas de nossas vidas assistindo estrelas de Hollywood fazendo gracinhas, piadas e manifestações políticas. Mas a grande graça dos Oscars, pelo menos para mim, sempre foi o bolão com os amigos, comentar a premiação no Twitter e lançar várias opiniões cheias de propriedade sobre vencedores e esnobados.

Entretanto, ao contrário da cerimônia de 2019, que tinha ali uns três, quatro filmes no máximo, realmente bons, a premiação de 2020 vem para consagrar um ano excelente para o cinema (seja na telona ou no streaming). A Netflix nunca esteve tão presente, a popularidade de um filme estrangeiro nunca chamou tanta a atenção, mais um filme de quadrinho chamando a atenção dos votantes (ano passado tivemos Pantera Negra e Homem Aranha no Aranhaverso) e, claro, um ano com figurões do naipe de Scorsese e Tarantino brilhando como sempre.

Se os troféus principais parecem não guardar muita surpresa, e seria lindo se a maior de todas fosse no grande prêmio da noite, decidi então juntar aos pitacos de quem vai ganhar, uma sugestão pessoal de quem deveria levar o careca dourado.

Admito, não assisti nenhum curta-metragem ou curta de animação e nem os curtas documentário. Então, para essas categorias eu vou fazer a Gloria Pires e não serei capaz de opinar. Se teu amigo quiser colocar isso no bolão, nem deixa. Só ajuda aquela galera cagona no chute.

Então vamos lá…

Melhor Maquiagem e Penteado.

Quem vai ganhar: O Escândalo

Quem deveria ganhar: 1917

O Escândalo é um filme na média. Não cai dentro da história dos abusos do chefão da Fox News e prefere ficar ali na superfície, usando técnicas moderninhas. O filme passa pano para suavizar todo o racismo e preconceito da personagem real, vivida por Charlize Theron. O grande trunfo do filme, além do talento do trio principal, é na caracterização de Charlize, Nicole Kidman e John Litghow, submerso em próteses, como foi com Gary Oldman em O Destino de uma Nação.

Entretanto, o meu voto seria de 1917. A maquiagem é mais um elemento imersivo do filme, principalmente para retratar a situação insalubre dos soldados.

Image for post
Image for post

Edição de Som

Quem vai ganhar: 1917

Quem deveria ganhar: Ford vs Ferrari

A Academia ama um filme de guerra. Juntar o som de tiros, explosões, gritarias é tudo o que os votantes adoram. Só não gostam mais do que em um filme musical (né, Bohemian Rhapsody?). O filme de Sam Mendes tem recebido todos os louros por sua técnica e aqui não deve ser diferente.

Porém, e olha que já falei bem mal de Ford vs Ferrari, tanto aqui quanto no Cinemou, o filme de James Mangold merecia essa estatueta. É possível distinguir o som de cada peça do carro dirigido por Christian Bale. E não só isso, quando entra nas corridas, cada carro tem suas especificidades e fica claro em cada acelerada.

Mixagem de Som

Quem vai ganhar: 1917

Quem deveria ganhar: Ford vs Ferrari

Volte uma casa e leia as justificativas anteriores novamente.

Image for post
Image for post

Direção de Arte

Quem vai ganhar: Era uma vez em… Hollywood

Quem deveria ganhar: Parasita

Tarantino é um apaixonado por cinema e seus filmes refletem isso. Até aí um total de zero novidades. Entretanto, em Era uma vez em… Hollywood, o diretor mergulha na sua cinefilia e na sua paixão pela Los Angeles do fim da década de 60. Para isso, Tarantino transformou ruas e fachadas inteiras da cidade, utilizando cenários reais, além de construir interiores de casa e sets de filmagem para contar sua história. A paixão do diretor pode ser vista em cada um desses detalhes e cores.

Quem também utiliza seu design como um personagem para a trama é Parasita, o meu voto para quem deveria levar a estatueta. Assim como Era uma vez… o filme coreano cria suas ambientações e elas se tornam parte da estrutura dos personagens e da narrativa. A casa a meia profundidade no beco, a mansão no alto da ladeira, o porão abaixo do nível da casa, a sujeira versus os vidros cristalinos, roupas… Parasita poderia contar sua história de forma muda, apenas utilizando seu conceito visual.

Image for post
Image for post

Canção Original

Quem vai ganhar: (I’m Gonna) Love Me Again, por Rocketman

Quem deveria ganhar: Stand Up, por Harriet

Rocketman é um filme bacana. Ponto. O que faz o filme ser mais do que ele realmente é tem nome e sobrenome: Taron Egerton. E a quantidade de hits de Elton John enfileirados na duração do filme só jogam a empolgação do espectador ainda mais para o alto. Entretanto, a nova música de Elton John, que toca nos créditos do filme após um apoteótico “I’m Still Standing” é apenas um: legal. Nada mais que isso. Deve levar o Oscar mais pela grife do que pelo conteúdo.

Já “Stand Up” tem a força necessária para uma história sobre Harriet Tubman. Cynthia Erivo, que interpreta a escrava que se torna abolicionista em Harriet, interpreta a canção de forma poderosa. Além de tudo, caso vença, aos 33 anos, Cynthia será a pessoa mais nova a completar a quadra: Emmy, Grammy, Oscar e Tony.

Image for post
Image for post

Montagem

Quem vai ganhar: Parasita

Quem merece ganhar: Parasita

Parasita foi o primeiro filme estrangeiro a vencer o prêmio principal do Sindicato de Montadores de Hollywood. Se os votantes não forem induzidos erroneamente a votarem em 1917 para montagem, confundindo o trabalho com fotografia, o resultado se repetirá e Jinmo Yang levará essa estatueta. E é mais que merecida. Seja nos segmentos que mostram a introdução dos Kim na vida dos Park, seja na fantástica cena com os Kim embaixo da mesa ou na da chuva, a montagem de Parasita é primordial para o ritmo da história e o entendimento de suas temáticas.

Documentário

Quem vai ganhar: Indústria Americana

Quem merece ganhar: Democracia em Vertigem

Indústria Americana está com esse Oscar quicando na frente. Carregando o selo da produtora dos Obama (que compraram os direitos do filme com a Netflix) o filme mostra o relacionamento de trabalho entre um grupo de chineses e operários de classe média norte-americanos. É um belo momento para falar sobre o assunto e o filme deve ofuscar o badalado Honeyland.

Entretanto, quem eu acho que deveria vencer esse prêmio é o documentário brasileiro. E é voto com patriotismo, vestindo a camisa mesmo. O que a diretora Petra Costa narra é um dos momentos mais sujos da política brasileira e os ataques que o filme vem sofrendo do atual governo só corroboram isso. É uma escalada para esse fascismo-cristão que vemos espalhar seu racismo, preconceito, crimes dia após dia. A vitória de Democracia em Vertigem seria muito mais do que apenas um filme brasileiro ganhando o prêmio. Seria uma amostra de que o mundo está de olho em Jair e seus asseclas.

Image for post
Image for post

Efeitos Visuais

Quem vai ganhar: O Rei Leão

Quem merece ganhar: O Irlandês

Todos os indicados para a categoria têm efeitos ótimos. Vingadores é a catarse em forma de CGI, centenas de criaturas e cenários trabalhando para o momento ápice do MCU. Star Wars, mesmo não agradando todo mundo, vem mantendo uma qualidade altíssima nos efeitos, com criações em CGI e animatrônicos que dão vida ao universo, sem soar falso como os prequels. Entretanto, O Rei Leão e O Irlandês deram uma revolucionada no quesito. A criação digital da savana africana, com animais fotorrealistas, cenários que desafiam a noção do espectador do que é real ou não foram o grande chamariz do remake comandado por Jon Favreau. Mesmo não tendo o carisma da animação, é de encher os olhos cenas como a apresentação de Simba, o voo do tufo de pelos até chegar ao macaco Rafiki e qualquer close nos animais.

O Irlandês não trabalhou com uma tecnologia propriamente inédita. Os filmes da Marvel e até Tron: O Legado, em 2010, já haviam utilizado o efeito de rejuvenescimento. Entretanto, Scorsese ultrapassa os limites do que havia sido feito até então e utiliza a computação ao longo de praticamente todo o filme. E para aumentar ainda mais o processo, em rostos de idosos, transformados em homens de meia idade. O resultado é impressionante e é um olhar para o futuro do cinema.

Image for post
Image for post

Trilha Sonora

Quem vai ganhar: Coringa

Quem merece ganhar: Coringa

A islandesa Hildur Guðnadóttir já chega na premiação como uma das certezas da noite. Sua trilha sonora para o filme de Todd Phillips vem sendo aclamada em todos os prêmios e com total mérito. A trilha do filme é fantástica, fazendo parte da melancolia, do tormento e da revolta de Arthur. Phillips disse em várias entrevistas que Joaquin Phoenix atuava ouvindo a trilha e que isso fazia parte da construção da cena e do personagem. O resultado é visível e nenhuma outra chega perto.

Image for post
Image for post

Figurino

Quem vai ganhar: Jojo Rabbit

Quem merece ganhar: Jojo Rabbit

Jojo Rabbit tem uma estética parecida com os filmes de Wes Anderson em seus tons pastéis. Os figurinos, perfeitamente colocados e, quando desalinhados, tem a função de expor uma ideia do roteiro, evocam ainda mais o diretor de Moonrise Kingdom. E talvez seja Moonrise o filme que mais aproxima os dois diretores. A roupa dos “escoteiros nazistas”, os adultos que vestem sempre o mesmo estilo de roupa, como num desenho animado… o cinema dos dois diretores dialoga em diversos momentos do filme. Além disso, Taika utiliza muito bem os figurinos para dar mais leveza aos personagens e a trama, como as grandes bolsas na calça de Hitler, que são apenas um pouco maiores que a original, mas já dão esse toque cartunesco.

Image for post
Image for post

Fotografia

Quem vai ganhar: 1917

Quem merece ganhar: 1917

A barbada da noite. Roger Deakins já poderia entrar no tapete vermelho segurando o seu Oscar. Ninguém vai dizer o contrário: a fotografia de 1917 é fantástica e é ela a responsável por todo o barulho que o filme tem feito e o sucesso que tem alcançado. Ponto.

Image for post
Image for post

Animação

Quem vai ganhar: Klaus

Quem merece ganhar: Klaus

A animação da Netflix deve se tornar um daqueles filmes que toda criança vai assistir no natal. Seja a sua história dando uma origem para Noel, seja o carisma dos personagens e mesmo o seu visual misturando o traço 2D com o digital, o que o diferencia de praticamente todos os desenhos de grandes estúdios hoje em dia. Uma história simples e original e com uma execução formidável.

Image for post
Image for post

Melhor Filme Internacional

Quem vai ganhar: Parasita

Quem merece ganhar: Parasita

Falei aqui e no Cinemou sobre como a obra de Bong Joon-Ho é um olhar crítico para as disputas de classe na Coreia do Sul e no mundo. Através da busca por uma boa vida dos Kim, o diretor nos mostra todos os limites que a sociedade pode alcançar e, principalmente, quebrar. Não há mocinhos e vilões, todos já fomos parasitas. É a obra-prima do diretor e é o melhor filme do último ano.

Roteiro Original

Quem vai ganhar: Parasita

Quem merece ganhar: Parasita

Volte uma casa e leia as justificativas anteriores novamente.

Image for post
Image for post

Roteiro Adaptado

Quem vai ganhar: Jojo Rabbit

Quem merece ganhar: O Irlandês

O filme de Taika Waititi consegue equilibrar bem o tom habitual de comédia do diretor, o peso e a tragédia de filmes de guerra e ainda criar ótimos personagens. Pelo olhar de Jojo vemos o quão tóxico um ambiente de preconceito e ódio pode ser para uma criança. Seu grande trunfo são os diálogos entre Jojo e sua mãe, Jojo e Elsa e até seus embates com o amigo imaginário, Adolf Hitler, que apresentam todas as camadas de uma mente jovem sobre a influência desse regime.

Entretanto, acredito que a grande justiça seria que a estatueta fosse para O Irlandês (e que acredito deva sair sem nada). O trabalho de Steve Zaillian em transpor para a tela mais de três décadas, adaptando o livro “I Heard You Paint Houses”, é fantástico, principalmente no ritmo. Os longos diálogos nunca se tornam cansativos, criando momentos de tensão, culpa e arrependimento genuínos.

Image for post
Image for post

Melhor atriz coadjuvante

Quem vai ganhar: Laura Dern, por História de um Casamento

Quem merece ganhar: Laura Dern, por História de um Casamento

Devo confessar que tenho uma implicância com a personagem de Laura Dern em História de um Casamento. Ela é praticamente a mesma Renata que a atriz interpreta em Big Little Lies. Colocando isso de lado, é, assim como na série, um trabalho primoroso. Os papéis da personagem na trama contribuem para isso, com uma amiga de Nicole no primeiro encontro e dona da situação no encontro de conciliação. Mas é no momento em que Nora precisa confrontar o personagem de Ray Liotta, que Dern mostra toda a força de sua interpretação. É para aplaudir de pé.

Image for post
Image for post

Melhor Ator Coadjuvante

Quem vai ganhar: Brad Pitt, por Era uma Vez em… Hollywood

Quem merece ganhar: Brad Pitt, por Era uma Vez em… Hollywood

Brad Pitt é um daqueles caras que ama Hollywood. Não só os filmes, mas como seus companheiros atores, novos projetos e novos cineastas. Não é à toa que o ator vem sendo um dos mais aplaudidos nessa temporada. Brad Pitt e sua Plan B têm feito muito pelo cinema. E é interessante ver que o ator deve ganhar seu primeiro Oscar como ator (ele venceu como produtor de 12 Anos de Escravidão) pelo papel de Cliff Booth, um dublê, um daqueles caras que ninguém sabe o nome, mas já trabalhou com grandes astros e em grandes produções. E Pitt brilha em cada uma de suas cenas, em especial, a sua chegada ao rancho da família Manson.

Mais lindo que isso, só se Joe Pesci ou Al Pacino levassem.

Image for post
Image for post

Melhor Atriz

Quem vai ganhar: Renée Zellweger, por Judy — Muito além do Arco-Íris

Quem merece ganhar: Renée Zellweger, por Judy — Muito além do Arco-Íris

Renée Zellweger foi a atriz do momento no início dos anos 2000. Em três anos, ela foi indicada ao Oscar três vezes e venceu uma: O Diário de Bridget Jones, Chicago e Cold Mountain, vencendo como atriz coadjuvante por esse último. Após um hiato de seis anos, entre 2010 e 2016, a atriz voltou a atuar, mas sem o mesmo brilho (e a mesma importância dada). Entretanto, desde a primeira exibição de Judy, Renée já era apontada como favorita aos prêmios da temporada. Seu talento para cantar (que já tinha aparecido em Chicago) e interpretar as emoções de Judy Garland em seus últimos dias salvam a produção de ser apenas um Ok. E Renée, enfim, volta a brilhar.

Image for post
Image for post

Melhor Ator

Quem vai ganhar: Joaquin Phoenix, por Coringa

Quem merece ganhar: Adam Driver, por História de um Casamento

Joaquin Phoenix é espetacular e Coringa é mais de seus grandes trabalhos. Sua entrega aos personagens é mesma que vemos em Christian Bale, por exemplo. Entretanto, a interpretação de Arthur Fleck não é novidade para quem acompanha sua carreira. A melancolia vista em Ela e a paranoia e fisicalidade de Vício Inerente e O Mestre. É um trabalho fantástico, mas não é novo.

Já Adam Driver deveria vencer o prêmio por seu papel em História de um Casamento. O seu Charlie carrega todo o sofrimento, rancor e solidão que a situação necessita, sem cair no histérico e piegas. São os pequenos atos e olhares do ator que tornam seu trabalho humano e real. No ápice da separação, a grande discussão entre o casal, Adam Driver entrega a melhor atuação de sua carreira, passando da melancolia para a fúria e ao desespero. Poucos minutos depois o ator entrega cenas de incômodo e afobação cômica, passa ainda para a já famosa cena em que canta o drama de dois amores que não existem mais. Fantástico e merecia muito mais do que vem conseguindo.

Image for post
Image for post

Melhor Diretor

Quem vai ganhar: Sam Mendes, por 1917

Quem merece ganhar: Bong Joon-Ho, por Parasita

Sam Mendes é um dos grandes diretores de Hollywood. Premiado em 2000 ao falar sobre a sociedade americana da época com Beleza Americana, passou por grandes produções como Estrada para a Perdição e Skyfall e fez bons filmes pouco vistos, como Soldado Anônimo e Foi Apenas um Sonho. É justo que ele vença o Oscar de melhor direção pelo seu filme de guerra. Mendes orquestra toda a questão técnica em um espetáculo pouco visto no cinema. Mais uma vez, 1917 é um filme extremamente técnico. Qualquer direção mais frouxa ou sem os pés no chão poderiam ser um desastre para a produção.

Dito isso, Bong Joon-Ho também produz um filme tecnicamente perfeito com Parasita (em uma escala menor, óbvio). Entretanto, seu filme tem técnica, emoção, roteiro, carisma e tudo o que um clássico tem. Bong dirigiu o melhor filme do ano, da melhor forma no ano.

Melhor Filme

Quem vai ganhar: 1917

Quem merece ganhar: Parasita

Estou colocando 1917 aqui seguindo o que temos visto ano após ano: filmes que vencem sindicato de produtores também levam o Oscar.

Mas, o melhor filme do ano (se ainda não entendeu, é Parasita!) tem que vencer. Depois de uma década que tivemos Green Book, O Discurso do Rei, Birdman, O Artista e Spotlight, em detrimento de Roma/BlackKklansman, A Rede Social, Whiplash, Hugo/Meia Noite em Paris/A Árvore da Vida e Mad Max: Estrada da Fúria, o Oscar 2020 deveria fechar esse período com uma obra-prima. E essa obra-prima é Parasita!

Image for post
Image for post

Written by

Cinema, TV e música. Cinéfilo na veia, música em todos os tempos livres e TV naquela hora do sofá.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store